quinta-feira, 26 de junho de 2014

TAG: 7 Coisas

Samenina Diw me marcou num negócio no blog dela, o Felante Elefante Colorindo, que consiste em uma lista de 7 coisas. Eu até já fiz uma parada dessa aqui mesmo no Insano Mundo Estranho, em dezembro de 2010. Mas né, como já faz um bom tempo e umonti das minhas respostas mudaram, além do fato de que adoro responder a questionários, lá vai eu de novo... e vamos a TAG:

7 coisas que quero fazer antes de morrer:
1. Comprar uma casa grande, onde eu possa criar pelo menos dois cachorros;
2. Casar e ter filhos;
3. Viajar por vários lugares;
4. Ter uma banda;
5. Não deixar que a exploração do capital desagregue valor a minha vida, ou seja, trabalhar com algo que me dê prazer;
6. Muitas loucuras ainda;
7. Poder contribuir em várias causas nas quais acredito. 

7 coisas que falo:
1. Samenina/semenino;
2. Tadisgrama;
3. Muito amor;
4. Vixe;
5. Sdds (...);
6. Oxe;
7. É memo, é nada!

7 coisas que (eu acho que) faço bem:
1. Comer;
2. Compor;
3. Escrever;
4. Me comprometer com o que me proponho;
5. Organizar, em geral;
6. Coisas que envolvem criatividade;
7. Umascoisinha.

7 coisas que não faço bem:
1. Iniciar uma conversa;
2. Atividades físicas em geral;
3. Dar conselhos;
4. Decidir;
5. Tomar iniciativa, isso envolve também abrir mão do meu orgulho;
6. Esquecer do mal que me fazem. tenho que melhorar isso aí;
7. Me maquiar.

7 coisas que me encantam:
1. Filmes;
2. Músicas;
3. Feminismo, luta lgbtt, contra o racismo e afins;
4. Gente de alma bonita;
5. Cães e bebês;
6. O amor, em todas as suas formas;
7. Aqueles que têm coragem de serem diferentes.

7 coisas que não gosto:
1. Hipocrisia;
2. A direita;
3. Gente que faz as coisas sem pensar nas consequências de seus atos, sobretudo quando atingirá outra pessoa;
4. Esperar;
5. Ideias retrógradas, homofóbicas, machistas, racista, etc;
6. Fofoca;
7. Planejar alguma coisa (boa) e algo ou alguém atrapalhar .

7 coisas que amo:
1. Alguns familiares e amigos, e Kika;
2. Carinho;
3. Música;
4. Socializações (por incrível que pareça), encontros, festas e afins;
5. Coisas inesperadamente legais;
6. Gente que faz o bem;
7. Cães.

7 blogs que indico pra responder:
Nenhum, porque sou dessas

Olha, demorei bem mais pra fazer isso do que imaginei....

terça-feira, 10 de junho de 2014

Deixa ser

Solidão
Mandou dizer
Que tanto queria você.
Solidão
Mandou avisar
Que em mim é também seu lar.
Laiá...
Dirão que não é certo assim
Querer perto de mim
Um alguém que não se é por inteiro.
É que passo os dias lembrando
O que fazer desse tanto querer?
Vem me falar...
Eu sei que aqui não é o seu lugar
Mas deixa ser, vamo fingir
Até onde a gente ver que da pra ser
Até onde der pra ir, e sorrir.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Não tem contradição: queremos Copa, saúde e educação

Estamos vivendo um momento histórico: o Brasil irá receber a Copa do Mundo 2014, momento de oportunidade para o país que recepcionará pessoas de toda parte do mundo e ganhará visibilidade internacional.
Mas a realização do mundial também expõe as fraquezas de nosso país. Movimentos populares clamam, mostrando que a luta por melhorias e o desejo por avanços correm nas veias dos meninos e meninas. Gritamos por mais saúde, segurança, serviços públicos e uma educação de qualidade. A União da Juventude Socialista (UJS) levanta a bandeira dos movimentos do povo e acredita que não devemos ficar parados.
Porém, é necessário ficarmos atentos. Os protestos estão sob intensa disputa ideológica. Os setores conservadores, utilizando-se principalmente da mídia, irão tentar se apropriar e direcionar as reivindicações da juventude. E é justamente o setor de direita que mascara e camufla o movimento popular, introduzindo ideias que atendem as suas diretrizes ideológicas, como a palavra de ordem "não vai ter Copa!".
O "cancelamento" do evento não irá trazer nenhum avanço real para o povo. Derrotar a Copa é de interesse do que há de mais conservador, reacionário e atrasado neste país. É um interesse da direita e uma ideia que nada tem a ver com o progressismo juvenil.
Não devemos cair no discurso das elites. Serão bilhões injetados em nossa economia, obras de reestruturação e mobilidade urbana que ficarão como legados para a população, além dos olhos do mundo inteiro voltados para o nosso país. O sucesso da Copa irá mostrar que, ao contrário do que afirma a galera do complexo de vira-lata, o Brasil tem condições de realizar grandes eventos.
Devemos sim contribuir para um debate que faça com que a Copa traga melhorias também para o povo, brigar por mais direitos sociais, como as bandeiras que a UJS sempre levantou, tais como a reforma política e da mídia, transporte público de qualidade e 10% do PIB destinados à educação.


Emile Lira, diretora de comunicação da UJS Camaçari