sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Mu'dança

   Embora não aparente tanto assim, eu sou uma pessoa inquieta, incansável, inconstante e vários desses ins e afins. Eu vejo a mudança como clímax, como a máquina da vida, é aquilo que impulsiona. Além de necessária, a mudança é inevitável, e como diria a sábia Aninha "o mundo dá voltas!". Parece óbvio para alguns esse lance todo de mundo que gira, mas escondido no óbvio existe algo mais substancial: é o movimento. O movimento é o que acelera o nosso ser, é essa inconstância que faz a vida ser um pouco mais tragável. 
   Esse papo meio incoerente surgiu mesmo por causa do novo layout do blog, confesso, não partiu de nenhuma meditação e nem pelo uso de substância que elevam a alma, foi coisa de gente frufru mesmo. É que tudo parece muito simples em nosso cotidiano, ingerimos os fatos, convivemos, e muitas vezes nem nos damos conta de umonti de coisa que há nisso tudo. 
   Essa coisa da mudança do layout causou comentários até, me falaram assim "pare de ficar mudando, crie uma 'marca' para o blog". Mas questiono, porque qualquer identificação ou consistência que há por aqui no Insano Mundo Estranho é - e deve ser - puramente conteudista, é essa minha visão de mundo e esse meu jeito que deve traçar uma linha por aqui, não um plano de fundo, porque esse é superficial e varia, varia de acordo com meu estado de espírito, e vai continuar variando, porque, repito, amo a transformação.
   Tem um texto de Edson Marque bem bacana que diz umas coisas legas: "o mais importante é o movimento, o dinamismo, a energia", veja o quão simples e bela é essa frase, é a exaltação da mudança, da chama que permeia o ser. Porque fazer o que já se faz todo dia é muito fácil, muito cômodo; é só a partir do novo que se abrem as novas possibilidades, que se dá luz àquilo que permanecia obscuro. É com a mudança que tudo se move, que a vida dança!

Dia Municipal do Rock 2011



- Quando: 06 de setembro, às 20h
- Onde: Mega Star (Praça dos 46 - Camaçari)
- Quanto: R$5 + 1kg de alimento não perecível
- Bandas: Declinium, The Pivo's, The Clan, Código em Sigilo, Casa Verde, Psicopop, The Baggios (SE)


Realização: Associação Cooperarock + Capivara Coletivo Cultural

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Don’t make me hate you







Eye to the sky
My eyes cry
But don't forget me
Don't make me hate you
I'sad too
And you know why
Don't pretend not
Don't make me hate you



O que falaram de mim

E o que é que tem pra hoje? É um texto de autoria de Camila Cunha, minha amiguinha jornalista. Ou seja, tem um montedecoisa aí que é pura rasgação de seda da parte dela. HÁ. Por exemplo, esse blog não é lá muito interessante, nem famoso, nem legal, nem nada disso, é tudo sonho meu. É que na hora da entrevista eu tava me sentindo a tal, porque né, ser entrevistada, sobretudo por ela, não é pra qualquer um. Então leiam aí o texto supimpa de Camila.

Pequena Insana
Conheça um pouco mais sobre a autora do “Insano Mundo Estranho”                                                                                   

Camila Cunha

    Dona de uma fala mansa, um sorriso tímido e olhos cativantes, essa pequena jovem de 18 anos se chama Emile Lira e é autora do então famoso blog “Insano Mundo Estranho” que aborda música, cinema, literatura e cultura em geral, o qual conquistou o público com suas críticas inteligentes e divertidas.
   Inicialmente o blog era de uso pessoal, como conta Emile, era um meio de expor o seu ponto de vista a cerca dos assuntos que ela mais gosta: shows, filmes, livros, músicas, tendo bastante destaque a música baiana e o seu cenário, no qual ela diz: “As pessoas não dão valor a música que é produzida na Bahia. A música de qualidade não é mostrada aqui, não é de acesso fácil para as pessoas, isso é lamentável!” ela confessa ainda que o blog inclusive foi decisivo para ela escolher o curso de Jornalismo. Com o passar do tempo, as pessoas começaram a acompanha-la, a gostar do seu jeito de escrever e em surpreendente as bandas as quais ia para o show. Emile ressalta que toma bastante cuidado quanto à abordagem de expor sua opinião sobre as bandas nos shows que frequenta, e revela ainda, que tem músicos que perguntam de maneira bem curiosa e positiva sobre o que ela vai escrever depois de ver a apresentação.
   Mas não é só de rock and roll que Emile gosta de falar, assuntos controversos tem seu lugar garantido no blog: “Para muitos blogs há uma grande censura ainda de falar sobre determinados assuntos, como por exemplo: descriminalização da maconha, religião, causa homossexual ,entre outros. No Insano Mundo Estranho tem espaço para todos os assuntos, até mesmo para os mais polêmicos.” Entre outras palavras, Emile diz que o blog não é somente entreter, mas também informar as pessoas.
   Com o crescimento do blog, Emile diz que pensa no futuro em expandi-lo, em torna-lo comercial e admite modestamente: “Nunca pensei que o meu blog fosse o que ele é hoje. Eu fico muito feliz e espero que o público curta cada vez mais!”.  Então fica aqui a recomendação: acessem o “Insano Mundo Estranho” e descubra mais sobre essa pequena insana baiana.

domingo, 7 de agosto de 2011

Rapidinha: Sobre Canções de Apartamento

   Musicalidade, poesia, doçura: é tudo o que Cícero traz em seu primeiro CD solo intitulado Canções de Apartamento. Com o violão as sustentando, as músicas intimistas, além de letras sentimentais, trazem melodias suaves, reforçadas com a voz do artista, que é cheia de melancolia. Ouvir Canções de Apartamento é entregar-se a lenta viagem relaxante para a mais pura contemplação.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ausência

Não há mais nada a sentir
Não há mais nada a dizer
Sem motivos pra existir
E então, pra quê viver?


Sem mais nenhuma razão
Sem nada pra me aquecer
Os dias passam em vão
Deixo o vazio me entorpecer.


Sem você a me esperar
Não há motivos pra insistir
Meus dias passam devagar
Suas lembranças ainda em mim


Enquanto sua ausência me embriaga
Assisto sua amarga encenação
Que finge ignorar a calma
Que mutua nossa direção


Só quero que a morte
não escute meus lamentos.
Espero que a morte
esqueça os meus sofrimentos.